Elio Sant'Anna Elio Sant'Anna Author
Title: Julian Casablancas toca Strokes, mas não empolga público do Lollapalooza
Author: Elio Sant'Anna
Rating 5 of 5 Des:
Sem concorrentes de peso na mesma hora de seu show, Julian Casablancas atraiu grande parte do público do Lollapalooza para sua apresenta...

Sem concorrentes de peso na mesma hora de seu show, Julian Casablancas atraiu grande parte do público do Lollapalooza para sua apresentação, começou às 16h10 no palco Skol.
O show, que foi feito em conjunto com a banda Voidz, teve basicamente um repertório com músicas de sua carreira solo, desconhecidas para grande parte do público que o conhece pelo trabalho nos Strokes.

Com isso, muitos não saiam acompanhar as músicas, tentando se empolgar com pulos, gritos e palmas  A exceção foi quando foi executado "Ize Of The World" e "Take It Or Leave It", música presente no primeiro disco dos Strokes. Já no final do show, a música levantou o público e mostrou o poder que a banda tem sobre os fãs, mesmo com um longo tempo sem shows (apensar do último disco ser de 2013, a última apresentação dos Strokes foi em 2011).
Para tentar animar o público, Julian manteve uma postura com muita interação com os fãs, falando coisas como "Vocês gostam de música? Como um advogado só faço perguntas que já sei a resposta", seguido por risadas irônicas e espontâneas vindas do público.


Ao ver o show pela TV, notava com bastante nitidez o vocal com bastante efeitos, essa é uma marca dos seus projetos solos e dos dois últimos discos dos Strokes. Eu particularmente não pagaria para ver um show onde a voz tem tantos efeitos, tanto barulho, que não é possível entender o que se diz (tentativa fail essa dele tentar tocar algo mais metal), não sei se no show foi assim, mas foi algo que EU VI/OUVI pela TV.
Os teóricos problemas de telão na prática foram propositais (em vez de imagens dos músicos, nas telas há formas aleatórias, como um monitor fora de sintonia. Algo também aplicado edição Chilena).

O som tinha melhor equalização do que no Lollapalooza Chile. Lá, as microfonias deixaram ainda mais fãs com cara de interrogação. Com instrumentos mais claros, dava para conhecer a boa banda The Voidz. Baterista e guitarristas têm boa técnica, mas sem cair na virtuose. Alguns solos do início quase esbarram no heavy metal melódico. O que parecia desafinado no Chile se mostrou dissonante aqui, com uma proposta que pode ser desenvolvida.
O fato de o show ter sido melhor do que no Chile dá esperança de que o projeto ainda seja um rascunho, aperfeiçoado ao longo da turnê (espero que seja isso mesmo, pelo que vi hoje, tenho medo do Strokes voltar assim, e já vimos algo parecido nos dois últimos discos). Eles ainda nem lançaram o disco do projeto. Por outro lado, o telão distorcido aumenta a impressão que Julian só quer testar a paciência dos fãs de Strokes.


Ele pareceu não se importar com isso, nem com o desconhecimento do público e se manteve com a mesma energia do começo ao fim, quando disse "Pronto, agora vocês podem ficar com o Phoenix" antes de dar Tchau para a Edição 2014 do Lollapalooza Brasil.

O setlist completo do show foi:



Fonte: G1 (Trecho/Fotos)

 

Postar um comentário

 
Top